Notícias

Agronegócio exporta menos em maio

10 de junho de 2016

Remessas ao exterior caíram 0,6% em relação ao mesmo mês do ano passado. Já no acumulado de 2016, vendas ao exterior estão 7,4% maiores, com US$ 36,6 bilhões exportados.

São Paulo - As exportações do agronegócio caíram 0,6% em maio deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, e somaram US$ 8,59 bilhões, segundo levantamento  divulgado nesta sexta-feira (10) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. No acumulado do ano, contudo, as remessas ao exterior estão maiores. Entre janeiro e maio foram exportados US$ 36,67 bilhões, com expansão de 7,4% sobre os cinco primeiros meses de 2015.

No mês passado as exportações caíram para os principais blocos compradores, entre eles o Oriente Médio, e para os países árabes que mais importam produtos do Brasil. De acordo com os dados do ministério, no mês passado as vendas ao Oriente Médio recuaram 15,5% em comparação com maio de 2015 e somaram US$ 523,8 milhões.

Entre os países da região, as vendas para a Arábia Saudita, o sexto maior importador do agronegócio do Brasil no mês passado, atingiram US$ 199,9 milhões, uma retração de 4,3% na comparação ano a ano. O Egito foi o 20º principal comprador, com importações de US$ 91,9 milhões e retração de 35,5% em comparação ao mesmo período de 2015.

Já no acumulado do ano, o agronegócio está ampliando suas vendas, o que se reflete também nos embarques aos países árabes. O Oriente Médio importou US$ 2,9 bilhões, ou 9,3% mais do que entre janeiro e maio de 2015. Nesta comparação anual, a Arábia Saudita ampliou suas compras em 3,5%, para um acumulado de US$ 910,4 milhões. As compras do Egito somam US$ 638,5 milhões e estão 14,9% maiores. Em 2016, a Arábia Saudita é o 8º principal comprador do Brasil e o Egito ocupa a 14ª colocação.

Os principais produtos exportados pelo agronegócio entre janeiro e maio foram os do complexo soja, carnes, produtos florestais, os do complexo sucroalcooleiro e cereais. Juntos, representaram 79,6% do total. No sentido contrário, as importações do agronegócio somaram US$ 5 bilhões entre janeiro e maio, uma queda de 16,6% em relação ao mesmo período do ano passado.