Notícias

Caem vendas internacionais de café

10 de junho de 2016

Exportações do produto recuaram 17,4% em volume e 27,3% em receita em maio. Líbano foi o 18º maior mercado do café brasileiro no exterior.

São Paulo – As exportações brasileiras de café caíram em receita e em volume em maio em comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo informações divulgadas nesta sexta-feira (10) pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). Países árabes como Líbano, Arábia Saudita, Síria, Jordânia, Emirados Árabes Unidos, Líbia e Djibuti estiveram entre os cinquenta maiores importadores do produto brasileiro no mês passado.

O Brasil exportou 2,4 milhões de sacas de café de 60 quilos em maio, o que gerou uma receita de US$ 352 milhões. Houve queda de 17,4% no volume sobre igual mês de 2015 e de 27,3% no faturamento. O recuo maior na receita foi ocasionado pelos preços médios menores, já que em maio do ano passado o café nacional foi vendido no exterior por US$ 166,02 a saca e no mês passado o valor médio estava em US$ 145,97. A queda do preço foi de 12,1%.

Entre os países árabes, quem mais comprou café do Brasil em maio foi o Líbano, com gastos de US$ 3,9 milhões, representando 1,1% de tudo o que foi enviado ao exterior pelo País. O mercado libanês está na 18ª colocação entre os destinos mais representativos para o produto, mas bem abaixo dos primeiros colocados. A Alemanha importou US$ 75,9 milhões, os Estados Unidos US$ 60,6 milhões, e o Japão US$ 30,3 milhões.

Ainda no mercado árabe, os sauditas compraram US$ 1,3 milhão, a Síria US$ 1,2 milhão, a Jordânia US$ 1 milhão, os Emirados US$ 817 mil, a Líbia US$ 568 mil e o Djibuti US$ 380 mil. Outros países árabes também fizeram compras de café brasileiro no período, mas em valores ainda menores: Egito, Kuwait, Omã, Catar, Bahrein, Iêmen, Tunísia e Iraque. O maior comprador árabe, o Líbano, adquiriu majoritariamente café do tipo Arábica.

No acumulado de janeiro a maio também há queda nos embarques brasileiros de café. As exportações somaram 13,6 milhões de sacas, o que gerou faturamento de US$ 2 bilhões. O recuo na quantidade foi de 9,2% e na receita de 26,5%. O preço médio caiu de US$ 181,44 de janeiro a maio de 2015 para US$ 146,92 no mesmo período deste ano.

Os países árabes como um todo importaram 510 mil sacas de café do Brasil desde o começo do ano até o final de maio, o que gerou US$ 67,1 milhões. A participação da região foi de 4% do total, mas houve recuo nas compras em volume, em 13%, e em receita, em 23,4%.