Notícias

Câmara Árabe apresentou oportunidades de negócios em Goiás

20 de setembro de 2017

Em palestra na Federação das Indústrias do Estado, o diretor-geral Michel Alaby falou sobre uma empresa do Kuwait que quer importar 12 contêineres mensais de frango e da demanda do Egito por carne.

São Paulo – A Câmara de Comércio Árabe Brasileira apresentou para empresários oportunidades de negócios em países do Oriente Médio e Norte da África nesta quarta-feira (20), em seminário na Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg). Em Goiânia, o diretor-geral da entidade, Michel Alaby, fez a palestra “Como negociar com os países árabes” para um público de 70 pessoas.

“Quem sabe nós levantamos exportações de frango para o Kuwait e de carne bovina para o Egito”, comentou Alaby, após comunicar que uma empresa kuaitiana está interessada em importar 12 contêineres mensais de frango e reiterar que o Ministério da Defesa egípcio continua a procurar fornecedores de carne bovina e de gado vivo.

O assessor comercial da Câmara Árabe, Hans Lazarte Lima, acompanhou Alaby a Goiás e permanecerá no estado nesta quinta-feira (21) para visitar empresas interessadas em negócios com países árabes. Além de frigoríficos, participaram do seminário representantes dos setores de farmoquímicos, cosméticos, madeira e commodities agrícolas.

O gerente do Centro Internacional de Negócios da Fieg, Plínio Viana, disse que o seminário teve uma recepção “excelente” por parte do público. Ele ressaltou que, além de goianos, marcaram presença empresários de Mato Grosso e do Pará. “Houve um interesse bastante grande”, afirmou. Compuseram a mesa também o presidente da Fieg, Pedro Alves de Oliveira, e o presidente do Conselho Temático de Comércio Exterior da entidade, Jaime Canedo.

Segundo Viana, os participantes manifestaram interesse principalmente no processo de certificação halal, que atesta que a mercadoria exportada foi produzida de acordo com a tradição islâmica. Este serviço é realizado no Brasil por certificadoras especializadas. O interesse foi maior por parte de empresários dos ramos de fármacos e cosméticos, pois muitos frigoríficos exportadores já têm esta certificação.

Alaby acrescentou que alguns participantes fizeram depoimentos de casos de sucesso nos negócios com países árabes, como um empresário que exportou 100 toneladas de feijão ao Egito. “Prometemos voltar no ano que vem e fazer um novo evento”, concluiu.