Notícias

Curso debate imigração árabe na literatura

22 de junho de 2016

Encontro na Universidade de Goiás mostra influência da cultura árabe no Brasil por meio de obras de Raduan Nassar e Milton Hatoum. Evento ocorre dia 24 de agosto e é aberto ao público.

São Paulo – Os imigrantes e a influência de sua cultura no Brasil serão temas tratados no minicurso Identidade e Imigração na Literatura Brasileira do Século XX: Milton Hatoum, Zelia Gattai e Raduan Nassar, que será ministrado pela professora-doutora Ana Beatriz Demarchi Barel, na Universidade Estadual de Goiás, no dia 24 de agosto, das 14h às 18h. O evento é aberto ao público.

Dos três autores tratados no curso, os dois homens têm ascendência libanesa. Nassar é natural da cidade de Pindorama, no interior de São Paulo, enquanto Hatoum nasceu na cidade de Manaus. Usando algumas de suas obras, a professora vai mostrar hábitos e costumes árabes que permeiam os textos destes escritores.

Do escritor Milton Hatoum, Barel irá utilizar como base os livros Relato de um certo Oriente e Dois Irmãos, além de algumas crônicas produzidas pelo amazonense. O trabalho de Raduan Nassar será explorado por meio da obra Lavoura Arcaica. Nas obras de Gattai será tratada a influência da imigração italiana por aqui.

“Milton e Raduan têm textos muito diferentes. O Milton mostra uma relação familiar muito forte, com cenas do cotidiano, doces, objetos da casa. O Raduan tem textos muito enxutos, sem adjetivos e advérbios. É um texto muito limpo que se aproxima muito dos textos religiosos”, afirma Barel, que é doutora em Letras e Literatura Brasileira pela Université Sorbonne Nouvelle - Paris 3, na França.

“No Milton, aparecem muito os doces, a comida, o ritual de leitura do Alcorão. Em Dois Irmãos, eles abrem um restaurante e falam do homus, quibe, esfiha, etc.”, diz a professora. Segundo ela, apesar das diferenças no estilo, a obra de Nassar também destaca fortemente a relação familiar. “Lavoura traz uma estrutura de família extremamente conservadora. O Raduan mostra uma estrutura familiar meio de clã, do Líbano antigo, ligada à terra”, explica.

Barel aponta os dois autores tratados no curso como os principais expoentes da influência árabe na literatura brasileira, mas acrescenta ainda um nome a esta lista, o do libanês Salim Miguel. Nascido no país do Oriente Médio, Miguel viveu no Brasil desde os três anos de idade até os 92, quando morreu, em abril deste ano. O autor escreveu 33 livros.

Vale lembrar que os dois autores abordados no minicurso são premiados. Nassar ganhou o prêmio na categoria Ficção da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), em 1978, pelo livro Um Copo de Cólera, e o prêmio Jabuti, de 1998, na categoria Contos e Crônicas, pelo livro Menina a Caminho e Outros Textos. No mês passado, o autor paulista foi o vencedor do Prêmio Camões de 2016, considerado um dos maiores reconhecimentos da literatura em língua portuguesa e que é entregue pelos governos de Portugal e do Brasil.

Hatoum também é vencedor de diversas premiações, entre elas o Prêmio Jabuti, por Relato de um certo Oriente, em 1989, eleito o Melhor Romance. Sua obra Cinzas do Norte, de 2005, ganhou cinco prêmios de diferentes entidades.

Serviço
Minicurso ‘Identidade e Imigração na Literatura Brasileira do Século XX: Milton Hatoum, Zelia Gattai e Raduan Nassar’
Dia 24 de agosto, das 14h às 18h
Local: Universidade Estadual de Goiás/ Campus Cora Coralina
Av. Dr. Deusdeth Ferreira de Moura, s/n – Goiás (GO) Sala do 4º ano de Letras
O minicurso faz parte da programação do XVII Encontro de Letras e X Jornada Coralineana e Outros estudos Literários. Para participar do evento é preciso fazer a inscrição pelo link http://migre.me/uag5x. O custo de participação é de R$ 20 e vale para todos os eventos do encontro.