Notícias

ONU acusa EI de genocídio

16 de junho de 2016

Denúncia partiu de relatório feito pelo brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro, que pede intervenção do Conselho de Segurança para salvar a minoria yazidi.

Genebra - A Organização das Nações Unidas (ONU) denunciou nesta quinta-feira (16), pela primeira vez, o grupo autodenominado Estado Islâmico por praticar crimes de genocídio, de guerra e contra a humanidade. A acusação legal faz parte de uma denúncia feita pelo brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro, presidente da comissão de inquérito da ONU sobre crimes na Síria.

Em seu relatório, Pinheiro pediu que os delitos do Estado Islâmico sejam levados para cortes internacionais e que o Conselho de Segurança faça uma intervenção para salvar a minoria religiosa yazidi, uma das mais afetadas pelas ações do grupo armado. O informe de Pinheiro está sendo disponibilizado para procuradores da Síria e do Iraque, as zonas onde o Estado Islâmico controla mais territórios, caso queiram abrir processos em tribunais locais contra o grupo.

Com tradição milenar, os yazidis são considerados “infiéis” pelo Estado Islâmico. A ONU estima que cerca de 400 mil yazidis viviam na Síria e no Iraque em agosto de 2014, mas que milhares já foram sequestrados, torturados, vendidos ou mortos.

*Via Agência Brasil