Notícias

Salgados brasileiros no Sul do Líbano

09 de julho de 2016

Produzindo salgados congelados para eventos e venda em loja, a brasileira Inez de Ghandour leva seus quitutes a dez cidades no país árabe. Libaneses são a maioria de sua clientela.

São Paulo – Quando foi morar no Líbano, há 14 anos, a brasileira Inez Ribeiro Gomes de Ghandour, nunca tinha trabalhado com alimentação. Arquiteta experiente, acabou mudando de vida para se adaptar ao novo país, terra de seu avô materno e de seu marido. Assim, há cinco anos, ela abriu a Sabores do Brasil e começou a fazer salgados congelados para vender. A ideia deu certo e, hoje, seus quitutes são entregues em dez cidades no país árabe.

“Tive o apoio de uma amiga [para iniciar o negócio] e comecei a avisar as amigas brasileiras que eu ia fazer [salgados]”, conta Ghandour, que mora em Nabatieh, cidade do sul libanês. No boca a boca, foram chegando muitos pedidos, diz a cozinheira. “No Sul do Líbano tem muita gente que morou no Brasil. Comecei a fazer para os brasileiros”, explica.

Além das encomendas, Ghandour colocou seus quitutes à venda em uma loja especializada na venda de frango e comida congelada. “Comecei a expandir o trabalho para os libaneses. Hoje em dia, a cozinha brasileira é muito conhecida na minha cidade”, afirma. Em média, a cozinheira entrega de 15 a 20 dúzias de salgados por semana nesta loja.

Nascida na cidade de Campos dos Goitacazes, no Rio de Janeiro, Ghandour aprendeu a fazer salgados vendo receitas na internet. Em sua lista de quitutes estão risoles de camarão, palmito e carne, coxinhas, bolinhas de queijo e enroladinhos de queijo. “O libanês gosta muito de queijo. Eu faço uma bolinha com recheio de mussarela, milho verde e orégano. Isso é um sucesso aqui. É uma bola que queijo que eles adoram”, destaca.

Ghandour também atende a muitos pedidos para aniversários e reuniões de amigos. “A maioria dos brasileiros que compram é para festas e eles fazem pedidos grandes, de dez dúzias”, comenta. No dia a dia, a maior parte da clientela é de libaneses. “No Ramadã se como muitíssimo aqui. Comecei a trabalhar dois meses antes do Ramadã. Os freezers ficaram cheios. Tive muito trabalho”, conta, sobre o mês sagrado dos muçulmanos.

A cozinheira conta ainda que não atende a pedidos apenas em sua própria cidade, mas também em outros municípios libaneses. “Entrego em dez cidades no total”, ressalta. “Para mim, é uma diversão. Vou entregar sem problemas”, diz.

Contato
Sabores do Brasil
Telefone: +9617098-9960
Cada dúzia de salgados custa US$ 6