Notícias

Brasileira é proprietária de escola de dança em Dubai

22 de outubro de 2017

Milla de Albuquerque mora nos Emirados Árabes há 14 anos e inaugurou a Le Café de la Danse há três. A escola atende alunos de diversos países e oferece mais de 10 modalidades.

São Paulo - Foi em 2003 que a brasileira Milla de Albuquerque foi morar em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, para trabalhar como bailarina de dança do ventre a convite de um hotel cinco estrelas. Em 2010, a bailarina profissional abriu uma empresa de entretenimento, que agencia dançarinos para eventos diversos, e inaugurou a escola Le Café de la Danse em 2014, que para ela, foi como uma extensão natural da empresa.

A escola de dança é frequentada por adultos e crianças de nacionalidades diversas e oferece aulas de ballet, jazz, salsa, tango, capoeira, pole dance, circo, twerk, dança do ventre, entre outras modalidades.

Albuquerque conta que as aulas mais procuradas são as de pole dance e dança do ventre. “Os árabes amam dançar”, comenta. “As mulheres adoram dança do ventre, e muitos homens árabes dançam salsa e frequentam noites latinas.”

A baiana nascida em Salvador pontuou as diferenças entre a cultura da dança brasileira e árabe. “São totalmente diferentes, a música, os movimentos e a energia da dança; as danças brasileiras são muito alegres, e as árabes, mais misteriosas.”

Aos 42 anos, a empresária diz levar uma rotina puxada entre aulas, shows e vida privada, e comenta o dia a dia de Dubai. “O dia aqui parece não acabar, as pessoas são muito notívagas devido ao calor”, disse. “Enquanto no Brasil as lojas fecham por volta de 20h, aqui, o comércio está apenas começando”, afirmou.

Milla visita o Brasil uma vez por ano e diz sentir muita falta da comida brasileira, apesar da diversidade de sabores de Dubai. “Aqui encontramos até açaí, mas no dia a dia, a comida é muito internacional.”

Mesmo com grandes diferenças culturais, a brasileira diz ter se adaptado facilmente ao país árabe, que é sua casa há 14 anos, e que inclusive aprendeu a falar um pouco do idioma local. “Eu adoro Dubai, acho o melhor lugar do mundo para se viver”, declarou. “É uma cidade segura e tem de tudo, praias, deserto, restaurantes e pessoas do mundo inteiro, além de uma comunidade local muito aberta e acolhedora”, acrescentou.

Para mais informações sobre a Le Café de la Danse, assista o vídeo abaixo e acesse http://www.lecafedeladanse.com/