Notícias

Cidades árabes estão entre os maiores polos varejistas

06 de junho de 2016

São Paulo – Cinco cidades árabes estão entre os 15 principais centros varejistas do mundo, de acordo com o relatório Destination Retail (Destino Varejo, em tradução livre) da multinacional do ramo imobiliário Jones Lang LaSalle (JLL). As informações foram publicadas neste domingo (05) pela Emirates News Agency (WAM).

Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, está em quarto lugar no ranking geral e em primeiro lugar no Oriente Médio e Norte da África. A Cidade do Kuwait aparece na 9ª posição; Abu Dhabi, também nos Emirados, na 11ª; e Jeddah e Riad, ambas na Arábia Saudita, estão empatadas na 12ª colocação.

De acordo com a WAM, a pesquisa informa que o setor se fortalece no Oriente Médio com a instalação na região de um número cada vez maior de redes internacionais de varejo. Dubai é destaque com sua vocação de destino de turismo de compras.

“O varejo continuará a ser um dos principais pilares da economia de Dubai e este relatório mostra que a estratégia [do emirado] de atrair grandes varejistas internacionais está funcionando”, disse o chefe do setor de varejo da JLL para o Oriente Médio e Norte da África, Andrew Williamson, segundo a WAM.

O levantamento diz também que os países do Conselho de Cooperação do Golfo (GCC) têm grande disponibilidade de áreas comerciais a preços acessíveis e as atividades de redes internacionais se sustentam em franquias, o que reduz os riscos para as matrizes ao entrar no mercado. O GCC é formado por Arábia Saudita, Emirados, Bahrein, Catar, Kuwait e Omã.

A reportagem de WAM acrescenta que o mercado varejista no Oriente Médio não é tão maduro como os de outras regiões, o que faz com que marcas internacionais não tenham concorrência tão intensa de empresas domésticas. Segundo o relatório, a demanda represada na região resultou num dos maiores volumes de vendas para os varejistas.

A lista da JLL é liderada por Londres, seguida de Hong Kong e Paris. Nova York está em quinto lugar, atrás de Dubai. Xangai aparece na 6ª colocação, Cingapura na 7ª e Pequim na 8ª. Tóquio completa o ranking das dez maiores, depois da Cidade do Kuwait.