Notícias

Doces brasileiros para festas libanesas

26 de junho de 2016

Das mãos da paranaense Yamani Assaad saem brigadeiros, camafeus, cupcakes, bolos e outras delícias. No Vale do Bekaa, ela atende a diferentes eventos e chegou a fazer 3,5 mil doces para um noivado.

São Paulo - Na cidade de Taalabeya, no Vale do Bekaa, a 40 quilômetros de Beirute, existe um gostinho doce do Brasil. Ele sai das mãos da brasileira Yamani Assaad, paranaense que vive desde 2009 na terra de seus pais e seu marido. Como trabalho, ela produz brigadeiros, beijinhos, bichos de pé, camafeus, bolos, cupcakes e outras delícias que adoçam as festas de libaneses da região.

“Faço brigadeiros, pão de mel, cupcakes, bolos, conchas de chocolate, copos de chocolate, brigadeiro de churros, olhos de sogra, mini tortas, camafeus, damascos recheados. São 30 doces diferentes”, conta Assaad, que é conhecida em sua cidade como Mimo, apelido que deu nome a seu negócio, o Mimos Doces Finos.

No Brasil, Assaad era dona de casa. Quando decidiu mudar para o Líbano foi aprender a fazer doces. Fez cursos em São Paulo e levou o que aprendeu para Taalabeya. “Os clientes são libaneses que têm uma pontinha no Brasil. Nas cidades daqui, quase todos têm familiares que moraram no Brasil”, conta. “Quem esteve no Brasil e voltou é cliente certo. Faço [os doces] igual aos do Brasil que eles adoram”, afirma.

Segundo a doceira, o único ingrediente que não agrada muito aos libaneses que não estão acostumados com a comida brasileira é o leite condensado, que eles consideram muito doce. Enquanto a guloseima que faz mais sucesso por lá é o brigadeiro recheado com morango.

Assaad só trabalha com pedidos encomendados. Ela atende a diferentes tipos de eventos, como noivados, casamentos, feiras e festas típicas muçulmanas, como as que acontecem após o final do Ramadã, mês sagrado do Islamismo que, este ano, deve acabar no dia 06 de julho do calendário ocidental.

O maior pedido que a brasileira já atendeu foi uma encomenda de 3,5 mil doces para um noivado, cerca de dois meses atrás. Para os próximos meses, a agenda também guarda outras grandes encomendas, como um casamento na metade de julho, com 1,5 mil doces e um casamento no final do mês que vem que deverá ter de 2,5 mil a três mil doces. Para pedidos grandes como estes, Assaad começa a trabalhar 15 dias antes de cada festa. “Tenho um sistema de congelar [os doces]”, explica.

Sobre o preço dos produtos, Assaad diz que o cento mais barato é o do brigadeiro tradicional, que custa cerca de US$ 30, enquanto o cento do camafeu de nozes custa US$ 55. O doce mais caro, no entanto, é também o mais popular. O brigadeiro recheado de morango custa U$ 1 a unidade.

As encomendas dos doces da Mimos Doces Finos podem ser feitas pelos telefones 08508974 e 076961336. As guloseimas podem ser vistas no link http://migre.me/ubTiK.