Notícias

Exportação aos árabes caiu em maio

19 de junho de 2016

São Paulo – As vendas de produtos brasileiros ao mercado árabe recuaram 18,6% em maio sobre o mesmo mês do ano passado, segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços compilados pela Câmara de Comércio Árabe Brasileira. A queda se refere à receita, que saiu de US$ 1,1 bilhão em maio de 2015 para US$ 894,9 milhões no mês passado.

Em volume, as vendas recuaram mais no período, em 28,6%. No quinto mês de 2015, foram exportadas 3,9 milhões de toneladas, e em maio último foram 2,8 milhões de toneladas, ou seja, 1,1 milhão de toneladas a menos. A queda maior nas quantidades do que no faturamento significa que, no geral, houve aumento dos preços dos produtos exportados.

O diretor geral da Câmara Árabe, Michel Alaby, afirma que houve grande influência das vendas de minério e de açúcar, dois dos principais produtos da pauta de exportação do Brasil para o mundo árabe. Ele lembra também que a região fez antes de maio a sua formação de estoques, as suas importações, para o Ramadã, mês sagrado do islamismo. O Ramadã começou em 6 de junho neste ano. Neste período, os seguidores da religião islâmica jejuam durante o dia, mas ao cair do sol fazem refeições coletivas e abundantes.

Entre as principais categorias de produtos exportados pelo Brasil ao mundo árabe, as cinco primeiras caíram: animais e produtos, alimentos industrializados, produtos minerais, vegetais e produtos, e químicos e conexos. Dentro delas, destaque para o açúcar, cujas vendas recuaram 22% de maio deste ano para o mesmo mês de 2015, ficando em US$ 211,4 milhões. A exportação de produtos minerais, onde está o minério, caiu 30,4%, para US$ 76,8 milhões. As carnes, outro produto importante na pauta, tiveram venda 1% menor, para US$ 330,32 milhões.

Os cinco países árabes que mais compraram mercadorias do Brasil em maio foram Arábia Saudita, com US$ 213,8 milhões, Emirados Árabes Unidos, com US$ 127,1 milhões, Egito, com US$ 117,7 milhões, Argélia, com US$ 96,5 milhões, e Omã, com US$ 69 milhões. Todos eles reduziram as compras sobre o quinto mês do ano passado. Dos Emirados Árabes e do Egito vieram as quedas maiores, de 43,4% e 33%, respectivamente.

No acumulado de janeiro a maio sobre o mesmo período de 2015, a redução das exportações brasileiras para o mercado árabe está menor, em 7,14% em receita e em 22,02% em volume. O Brasil exportou 13,6 milhões de toneladas para a região, o que rendeu US$ 4,3 milhões.

Também há queda nas importações brasileiras de produtos árabes, de 15,7% em maio e de 13,9% no acumulado dos cinco primeiros meses deste ano. Foram US$ 520,3 milhões no mês passado e US$ 2,2 bilhões de janeiro a maio. A queda veio principalmente do petróleo e derivados. As importações de produtos químicos e conexos, categoria da qual fazem partes os fertilizantes, subiram significativamente nos dois períodos.