Notícias

Exportação de veículos cresceu em maio

06 de junho de 2016

Segundo a Anfavea, foram embarcadas 46,8 mil unidades no mês passado, volume 15% maior do que o registrado no mesmo período de 2015. A produção brasileira, no entanto, caiu.

São Paulo - As exportações de veículos cresceram em maio em comparação com o mesmo mês do ano passado. De acordo dados divulgados nesta segunda-feira (06) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), no mês passado foram exportados 46.895 automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus, um aumento de 15% em relação ao mesmo período de 2015. Desse total, 44,4 mil foram exportações de carros e comerciais leves.

As exportações cresceram também sobre abril, com alta de 23,9%, e no acumulado do ano. De janeiro a maio, foram exportados 183,2 mil carros, comerciais leves, caminhões e ônibus, com alta de 21,8% sobre os cinco primeiros meses de 2015.

As exportações de máquinas agrícolas, por sua vez, estão menores. Em maio foram exportadas 716 unidades entre tratores, cultivadores, colheitadeiras e retroescavadeiras, uma retração de 23,8% em relação às 940 unidades embarcadas em maio do ano passado. Houve um pequeno aumento, de 0,8%, sobre abril, mas no acumulado do ano o setor também exportou menos. Foram embarcadas 3,39 mil unidades, 20% a menos do que no acumulado de 2015 até maio.

A soma das exportações de veículos e máquinas agrícolas em valores atingiu US$ 941,6 milhões em maio, com expansão de 16% sobre abril deste ano, porém, em retração de 25,5% em comparação com maio do ano passado. No ano, as exportações somam US$ 3,9 bilhões, valor 12,6% menor do que no período de janeiro a maio de 2015.

Produção

A produção do setor registrou retração no mês passado. Foram produzidas 175,3 mil unidades de veículos leves, comerciais leves, caminhões e ônibus, ou 18% a menos do que em maio do ano passado e 3,2% a mais do que em abril. No acumulado do ano, a produção somou 834 mil unidades, uma retração de 24,3% em comparação com os cinco primeiros meses do ano passado.

Em entrevista coletiva, o presidente da Anfavea, Antonio Megale, afirmou que a produção das indústrias do setor voltou aos níveis de 2004, o que “preocupa”. Segundo informações da Agência Brasil, Megale observou que o mercado interno frágil e o câmbio favorável levaram as empresas a exportar. Além disso, ele observou que o governo está negociando acordos comerciais com outros países, o que pode impulsionar mais as vendas ao exterior. “Esses esforços das empresas e do governo têm surtido efeito e a exportação tem esboçado um viés positivo”, disse.