Notícias

Governo promoveu debate sobre abertura econômica

07 de novembro de 2017

Representantes do setor privado, sociedade civil, governo e academia se reuniram em Brasília para discutir políticas públicas para a abertura econômica do Brasil. Iniciativa foi da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE). Câmara Árabe participou.

São Paulo – Um debate promovido nesta terça-feira (07) em Brasília pelo governo federal ouviu representantes do setor privado, da sociedade civil, agentes governamentais e acadêmicos sobre caminhos para a abertura econômica brasileira. O encontro foi uma iniciativa da Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE) e a Câmara de Comércio Árabe Brasileira participou por meio do seu presidente, Rubens Hannun.

“Promovemos um debate sobre quais seriam as alternativas para uma abertura econômica, quais os benefícios, os riscos, como deveríamos avançar”, afirmou em entrevista à ANBA o secretário especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Hussein Kalout, que falou na abertura do seminário. De acordo com ele, o objetivo foi ouvir os presentes sobre qual é a melhor forma de fazer uma abertura focada em desenvolvimento e bem-estar.

A economia brasileira é considerada uma das mais fechadas no mundo, afirmação que consta, inclusive, em relatórios da Organização Mundial do Comércio (OMC). No debate, porém, foi defendida a ideia de que uma abertura econômica bem organizada, adaptada e integrada nas cadeias globais de valor tem impacto na geração de emprego e de renda no País e no crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

A percepção de Kalout a partir dos debates é de que há um entendimento de que a abertura econômica passa pelo ambiente de negócios - mais propício, com menos burocracia, com mais infraestrutura e com racionalização de tarifas. O secretário acredita que o encontro cumpriu seu objetivo, pois os vários segmentos – ministérios, sociedade civil, setor privado – estavam representados. Houve convidados e também participação espontânea.

De acordo com o secretário, o debate foi realizado levando em conta que uma das grandes agendas do atual governo, além de reformas que primam pela retomada do crescimento econômico, é ampliar a capacidade produtiva, competitiva e de inovação.

O presidente da Câmara Árabe, que participou dos painéis da manhã no seminário, destacou o fato de que o comércio internacional pode trazer benefícios ao País em inserção mundial e produtividade. Ele ressaltou outras ideias levantadas no encontro, sobre como é importante o equilíbrio entre compra e a venda no comércio exterior e os caminhos apontados sobre como podem ser feitas as políticas governamentais na área.

Chamado de “Diálogos Estratégicos: Abertura Econômica para o Desenvolvimento e o Bem-Estar”, o seminário  de iniciativa da SAE foi promovido pela Secretaria Geral da Presidência da República, Ministério da Fazenda e Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Participaram também do encontro outras pastas do governo, como o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e o Itamaraty.  O encontro ocorreu no Auditório do Anexo I do Palácio do Planalto.

Durante o seminário foi lançado um estudo intitulado "Uma Agenda de Produtividade: o Desenvolvimento como o Interesse Público", com uma análise da realidade econômica brasileira tendo em vista as relações comerciais do País, a dinâmica dos setores produtivos e os entraves ocasionados tanto pela legislação quanto pelos interesses de grupos organizados.