Notícias

Lá vem o turista das Olimpíadas

30 de junho de 2016

São Paulo – Eles vão assistir disputas de vôlei, futebol, basquete, judô, natação e esgrima, mas também vão ao Corcovado para ver o Rio de Janeiro do alto, a Foz do Iguaçu conhecer de perto as cataratas, ao Nordeste se bronzear nas praias. As Olimpíadas e Paralimpíadas 2016, que ocorrem no Rio de Janeiro em agosto e setembro, trarão um grande número de estrangeiros ao Brasil, que além de acompanhar os jogos, fará turismo.

O Ministério do Turismo está confiante de que esse estrangeiro vai repetir o comportamento que teve na Copa do Mundo 2014 no Brasil e na Copa do Mundo 2010 na África do Sul. Pesquisa mostra que dos turistas que visitaram os dois países para a competição, 86% fizeram outras atividades de turismo, além de ver os jogos. “Se sabe que esse é um turista qualificado culturalmente e gasta com turismo acima da média”, afirmou o diretor de Estudos Econômicos e Pesquisas do Ministério do Turismo, José Francisco Salles Lopes.

O diretor cita, entre os estrangeiros que devem vir em maior peso para as Olimpíadas, os norte-americanos, japoneses, franceses, australianos, além dos europeus de maneira geral e os canadenses. Da América do Sul os mais esperados são os argentinos. Do mundo árabe? São aguardados visitantes da região, mas não muitos. Os países que mais enviam viajantes para as Olimpíadas são os que também têm tradição olímpica, de acordo com Lopes.

O diretor acredita que os jogos vão aumentar o gasto médio do turista estrangeiro no Brasil, dobrar as entradas financeiras com turismo no mês e farão crescer também a média de permanência no País. Dados do Banco Central mostra que em maio os estrangeiros gastaram no Brasil US$ 434 milhões. A última pesquisa do Ministério do Turismo a respeito mostra que o gasto médio dos estrangeiros por viagem no Brasil é de US$ 1,29 mil e a permanência de 17,7 dias. Mas os dados se referem a 2014, ano em que houve Copa do Mundo no País.

Lopes acredita que os turistas das Olimpíadas vão gastar seu dinheiro conhecendo o Brasil, e não se hospedando em locais luxuosos. Destinos de sol e praia, culturais e ecológicos devem ser buscados por eles, segundo o diretor. Ele acha que São Paulo poderá ser bastante procurada como local de passeio já que a maioria dos voos internacionais chegam ao Brasil pelo Aeroporto de Guarulhos. Entre os turistas das Olimpíadas devem estar os familiares dos próprios atletas, que virão em grupos de oito, nove, dez pessoas.

As agências que vendem roteiros pelo Brasil estão com a demanda em alta em função das Olimpíadas e Paralimpíadas. A EGP Viagens, cuja sede fica em São Paulo, vem sendo procurada por clientes estrangeiros que pretendem vir ao Brasil para os Jogos Olímpicos e querem espichar a estadia para mais lazer. De acordo com o proprietário da EGP Viagens, o egípcio Mohammed Darwich, há buscas principalmente dos Estados Unidos, China, Japão e Turquia. Também há demanda de árabes na EGP, mas pouca, da Arábia Saudita, Emirados e Marrocos.

Darwich conta que os estrangeiros que estarão no Brasil em agosto estão interessados em destinos como Foz do Iguaçu, cidades do Nordeste como Natal, no Rio Grande do Norte, e Fortaleza, no Ceará, além Fernando de Noronha, em Pernambuco. “Essas pessoas querem conhecer o máximo, querem sentir os lugares, conhecer as pessoas, a cultura, querem lugares com cafés, com bares”, afirma o empresário. Ele os descreve como jovens, de até 40 anos, e com opinião parecida a Lopes, afirma que não procuram resorts.

Estimativas do governo apontam que o Brasil vai receber entre 300 mil e 500 mil estrangeiros durante a Olimpíada e a Paralimpíada 2016. Material divulgado pela Embratur, órgão de Ministério do Turismo, fala que o instituto aposta na atual valorização do dólar e no maior poder de compra do estrangeiro no Brasil para atrair esse público e elevar a rentabilidade do setor do turismo durante as duas competições. A Embratur fez uma série de ações para divulgar os jogos no exterior e convidar os estrangeiros a fazerem turismo no Brasil no período.