Notícias

Livro mostra situação de refugiados no Brasil

21 de maio de 2016

'Refúgio e hospitalidade' reúne ensaios e artigos de especialistas em políticas de acolhimento a migrantes.

São Paulo - Lançado na sexta-feira (20) em Curitiba, no Paraná, o livro “Refúgio e Hospitalidade”, reúne artigos e ensaios de especialistas em acolhimento de migrantes no Brasil. A obra foi organizada pelo oficial de Proteção do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados no Brasil (Acnur), Gabriel Godoy, e pelo professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e coordenador do projeto Refúgio, Migrações e Hospitalidade, que estuda o fenômeno das migrações contemporâneas, José Gediel.

Nesta obra, os organizadores trazem textos que analisam as políticas de acolhimento a migrantes, a inserção deles no mercado de trabalho e na sociedade brasileira, os novos fluxos migratórios, o papel da sociedade civil, o papel do ministério público e os direitos dos migrantes, entre outros temas. O objetivo, afirmou Godoy, é discutir como a sociedade internacional e a brasileira recebem migrantes em seus países.

“A questão que está aberta é: a comunidade internacional quer proteger eles ou quer se proteger deles? As pessoas têm sido barradas. O que vemos na Europa, por exemplo, é um esquecimento da hospitalidade exatamente em um continente que precisou disso para sobreviver ao nazifascismo na Segunda Guerra (1939-1945)”, disse Godoy à ANBA.

O Brasil, observa Godoy, desempenha um papel contraditório ao receber e acolher migrantes e refugiados. “Após a Constituição de 1988, o residente é tratado em igualdade de direitos com os nacionais, mas temos uma lei de imigração de 1980 atrasada e uma lei de refúgio contemporânea e com foco moderno. Nossa lei de imigração é da época da ditadura (1964-1985). É ambíguo”, afirma.

Godoy observou ainda que o Brasil precisa evoluir no acolhimento ao migrante, sobretudo porque inseri-los na sociedade e no mercado de trabalho traz como resultado ganhos para o País. “O Brasil se esforça em ser global, em integrar a cadeia de suprimentos global, em estar no comércio mundial, mas tem uma lei imigratória muito atrasada. A circulação (global) de mercadorias não ocorre sem a circulação de pessoas. Os migrantes são, sim, parte da geração de riqueza de um país”, disse Godoy.

O livro aborda essas questões e desafios. Sua publicação é vinculada à Cátedra Sérgio Vieira de Mello, que reúne universidades que debatem o refúgio.

Serviço

O livro poderá ser baixado a partir da próxima semana no site http://www.acnur.org/t3/portugues/recursos/publicacoes/http://www.acnur.org/t3/portugues/
A publicação é gratuita