Notícias

Projeto ajuda a criar produtos para exportar

19 de julho de 2016

São Paulo – Estão abertas as inscrições para empresas brasileiras interessadas em participar de um programa para criar ou adequar produtos e embalagens para o mercado internacional. A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) recebe até o dia 02 de setembro as candidaturas de indústrias. A iniciativa é levada adiante em parceria com o Centro Brasil Design (CBD). As 108 selecionadas receberão apoio no desenvolvimento de seus produtos.

A coordenadora de Competitividade da Apex-Brasil, Adriana Rodrigues, destaca o design como uma importante ferramenta para o comércio. “Ajuda a ter maior presença no ponto de venda, é um diferencial de competitividade”, disse ela à ANBA, acrescentando ainda que a participação das empresas no programa traz benefícios a baixo custo.

Esta será uma segunda edição do programa chamado Design Export. A primeira foi encerrada na metade do ano passado e gerou vários cases de sucesso, segundo Rodrigues. “As empresas sentiram que aumentaram suas vendas internacionais, algumas abriram novos mercados, os resultados são muito concretos”, afirma.

O programa acabou criando nelas a cultura de investir no desenvolvimento de produtos para a exportação. Na primeira edição, 70% das participantes nunca tinham contratado escritórios de design para criação de artigos ou embalagens para o mercado internacional e passaram a fazê-lo depois do projeto, que inclui essa experiência.

Para concorrer ao Design Export, as empresas devem ser exportadoras ou estarem se preparando para exportar. Elas precisam eleger um mercado, que pode ser um país ou uma região do mundo, para o qual pretendem voltar aquele produto. O trabalho a ser feito pode ser criação de algo totalmente novo, adequação das quantidades para aquele mercado, melhoria na apresentação do produto, do seu invólucro, agregação de uma tecnologia a ele ou outras medidas neste sentido.

Ao fazer a inscrição, as candidatas preenchem um questionário onde respondem perguntas sobre o tipo de inovação que vão desenvolver, porque a exportação é importante para elas, entre outras. Depois de selecionadas, um consultor com experiência em design e comércio exterior vai até a empresa para fazer um diagnóstico dela e das suas necessidades. A partir daí será selecionado um escritório de design para atuar no projeto daquela empresa. Esse escritório auxiliará a companhia juntamente com o consultor. Os escritórios são capacitados para tal.

A empresa ganha, no Design Export, o trabalho do escritório e do consultor. Ela, no entanto, precisará dar a contrapartida financeira para ações como adequação da produção, confecção de material promocional, compra de moldes, de matérias-primas, entre outras necessidades no processo. Além disso, será convidada a participar de outros projetos da Apex de apoio à exportação, como cursos, programas setoriais ou o Projeto Extensão Industrial Exportadora (Peiex), que promovem a cultura exportadora e qualifica as indústrias na área.

Esse é o segundo edital que a Apex e o CBD abriram neste ano. No primeiro semestre, foi feita uma primeira chamada e seleção. Com essa segunda chamada, será formado grupo com 200 indústrias no total. O apoio financeiro, que vai para serviços prestados, é de R$ 18 mil por empresa. O resultado da seleção será divulgado ainda no mês de setembro. O cronograma divulgado no edital prevê o término da implementação do projeto entre outubro e novembro de 2017.

Serviço:

2º Edição do Programa Design Export
Segundo processo seletivo de empresa
Inscrições até 02 de setembro de 2016
Mais informações e acesso ao edital: http://www.designexport.org.br/apex-brasil-e-centro-brasil-design-lancam-novo-edital-para-o-programa-design-export/