Notícias

Restaurante de refugiado abre as portas

15 de maio de 2016

Talal Altinawi, que vive há dois anos e quatro meses no Brasil, inaugura restaurante sírio com dinheiro arrecadado em financiamento coletivo pela internet.

São Paulo - A culinária síria ganhou mais um representante na cidade no fim de abril. Além das receitas típicas, o restaurante localizado no Jardim das Acácias, região do Brooklin, em São Paulo, tem um tempero extra: foi inaugurado pelo refugiado Talal Altinawi, de 42 anos, que vive no Brasil há dois anos e quatro meses. Ele só conseguiu colocar o projeto em prática após realizar uma campanha de financiamento coletivo pela internet, conhecida como crowdfunding.

No ano passado, com apoio da organização não governamental (ONG) Adus, Altinawi recorreu ao crowdfunding para arrecadar dinheiro e abrir seu restaurante no Brasil. Aqui, já havia trabalhado em outros setores e não prosperou. Como sempre foi bom cozinheiro, decidiu usar o talento para a culinária como fonte renda.

Em um site de crowdfunding, Altinawi arrecadou R$ 71 mil. Desse total, 12% ficaram com o site e R$ 62 mil, com ele. O dinheiro ajudou, mas não cobriu todos os custos do empreendimento, que exigiu aproximadamente R$ 200 mil de investimento. Cerca de R$ 140 mil vieram do bolso de Altinawi. "Ainda preciso comprar equipamentos, forno a gás, freezer. Vou gastar mais dinheiro. Mas estou feliz", diz. As pessoas que fizeram doações para o projeto têm direito a descontos e pratos grátis na casa. Alguns até já foram conferir os sabores da Síria.

O cardápio ainda é enxuto. Um prato à base de frango, um vegetariano e outro que tem como estrela o quibe assado. Acompanhado de charuto de carne feito com folhas de uva e arroz sírio, custa R$ 30. É o preferido dos clientes. Homus com pão sírio (R$ 25), sanduíche de kebab (R$ 18) e doces árabes (R$ 6) completam a lista de quitutes típicos da síria.

Em breve, o menu deverá ganhar mais opções, pois Altinawi comprou uma mesa em que poderá servir uma quantidade maior de pratos quentes e frios. Tabule, coalhada e arroz com lentilhas vão fazer companhia aos pratos que já são preparados no restaurante, que vende, também, objetos de decoração e caixas artesanais importados da síria.

Abrir o restaurante e mantê-lo rentável exige esforço redobrado de Altinawi, sua mulher Ghazal e cinco funcionárias. Ele abre as portas às 6h para servir o café da manhã. Só encerra o expediente à meia-noite. De domingo a domingo.

“Faço isso porque preciso de dinheiro e de rentabilidade para dar conta dos investimentos e dos gastos. São R$ 5,5 mil de aluguel, R$ 2 mil de água, luz e telefone, R$ 6 mil com o salário das funcionárias. Levanto antes de o sol nascer para rezar. Depois disso começo a trabalhar”, diz Talal, que é muçulmano. Todos os pratos são preparados por ele e por Ghazal. “As funcionarias são brasileiras e não conhecem exatamente a nossa receita”, afirma.

Quando Altinawi decidiu abrir o restaurante, o Brooklin não era sua primeira opção. Ele queria trabalhar na Vila Madalena, bairro em que apresentou seus pratos pela primeira vez, em um bazar de imigrantes. “Meu filho ganhou bolsa de estudos em uma escola aqui perto e, além disso, nesse local pude alugar sem necessidade de apresentar fiador nem seguro fiança. Apenas precisei pagar antecipadamente três meses de aluguel. Tenho um bom movimento, mas muita concorrência", diz Altinawi. Ele fatura entre R$ 1.000 e R$ 1.500 por dia, em média.

Altinawi é engenheiro e deixou a Síria devido ao conflito entre governo e opositores, que dura mais de cinco anos. Ao chegar ao País como refugiado, ele se assustou com a burocracia e a dificuldade de se adaptar à cultura local. Ainda acha que difícil viver aqui. “Mas se a pessoa quiser crescer, ela vai conseguir. Tem muita oportunidade no Brasil e em São Paulo”, diz. Nem a crise política o preocupa.

“Para nós, sírios, isso não é tão grave. Sei que o Brasil já viveu dias melhores. Quando cheguei aqui, a situação política e econômica já não estava boa. No entanto, foi em meio a esta realidade que eu abri meu restaurante, que conquistei algumas coisas. Se as coisas melhorarem, tudo bem. Senão vou continuar a prosperar aqui, da forma como estava quando cheguei”, afirma.

Serviço

Talal Culinária Síria
Rua das Margaridas, 59, Jardim das Acácias, São Paulo - SP
De segunda-feira a sexta-feira, das 06h às 0h
Sábados e domingos, das 09h às 0h
Informações: https://pt-br.facebook.com/Talal-Culin%C3%A1ria-S%C3%ADria-873342422706395/ e http://www.talalculinariasiria.com/home.html