Notícias

Sesc apresenta histórias da Habiba

02 de julho de 2016

São Paulo – Habiba é uma menina que lê histórias em tapetes mágicos. Não, não há nada escrito neles, mas ela consegue ler. Ádil é um príncipe que precisará enfrentar um leão quando completar 18 anos e tem muito medo disso. Khalil é uma tia fantasma que aparece para um sobrinho depois de tanta mentira que ele já contou sobre assombração. Os três são personagens da contação de histórias com teatro de fantoches Habiba, que poderá ser vista em três seções na tarde do dia 16 de julho, um sábado, no Sesc Santo Amaro, na capital paulista.

A criação e a interpretação são da atriz Cris Miguel. Descendente de libaneses, ela se inspirou no seu avô cantador para levar o jeito árabe de contar histórias ao universo infantil. Habiba era como o avô paterno de Cris a chamava (e também o nome da atual cachorrinha da atriz). Nascido na Argentina, filho de libanês, ele não era músico, mas cantarolava de um jeito engraçado para a neta, o que a fazia rir e deu um empurrãozinho para que ela chegasse até o mundo da arte. Depois, a atriz encontrou mais sobre as suas origens no aprendizado da dança árabe e na pesquisa sobre as músicas étnicas.

A contação de histórias Habiba é a primeira criação em teatro da atriz com inspiração no mundo árabe. Cris atua sozinha no espetáculo. A interação com o público acontece enquanto os contos se desenrolam na voz da artista - aliás, nas suas várias vozes. A personagem Habiba, a menina que lê em tapetes, é apresentada pela atriz como a única que consegue a façanha. Isso se alguma criança presente no espetáculo, convidada pela protagonista, não conseguir fazer o mesmo. A boneca Habiba foi feita por Cris em parceria com Paula Galasso. 

Quando a tia Khalil entra em cena, ela incita o público a adivinhar o nome do sobrinho mentiroso. Todos quase sempre apostam em Pinóquio. Mas ele se chama mesmo é Salim. E quando a história é sobre o príncipe Ádic, o convite é para refletir sobre o medo. O menino foge para escapar de enfrentar o leão, mas no caminho aparecem outros temores. 

A peça ficou pronta há cerca de um ano e já teve apresentações na capital paulista e interior de São Paulo. Além dela, a atriz se dedica a outros projetos. No ano passado ela apresentou o espetáculo Carmencita, uma adaptação infantil da famosa ópera Carmem, do francês Georges Bizet, com direção de Danilo Tomic. No começo deste ano, também com a parceria de Tomic, ela colocou em pé o espetáculo infantil de teatro de bonecos“Tanto Mar”, com músicas do cantor e compositor Dorival Caymmi. No segundo semestre deste ano ela fará uma peça voltada às canções de Luiz Gonzaga.

Além de atriz, Cris é acordeonista, cantora e dançarina. Formada em Música pela Faculdade de Artes do Paraná, ela faz parte do grupo Mawaca, de pesquisa em música étnica. É fundadora do programa infantil de televisão Baú de Histórias, exibido nos canais Cultura e Rá Tim Bum, entre outras atividades culturais e artísticas. 

Serviço:
Contação de histórias “Habiba”
Sábado, 16 de julho de 2016
13h, 15h e 17h - Gratuito
Sesc Santo Amaro, na Sala de Múltiplo Uso, no Térreo
Rua Amador Bueno, 505 – São Paulo – SP
Mais informações: http://www.sescsp.org.br/programacao/96337_HABIBA